Priscila Mainieri

O trabalho de PRISCILA MAINIERI faz referência constante às relações do ser humano com a vida e o tempo. A artista apropria-se de elementos da natureza, da arquitetura e de objetos para traduzir manifestações psicológicas e sociais em linguagem visual. Utiliza-se de diferentes veículos e suportes que muitas vezes interagem e se misturam.

A repetição, a geometrização e a cor estão sempre presentes em seu trabalho. Inquietações sócio-políticas também permeiam o conceito em alguns trabalhos. A referência pessoal vai além da estruturação da obra e do resultado final. É necessário somar a execução, pois é no “fazer” que se dá a comunhão e a cumplicidade da artista com sua produção.(Claudio Rocha)

PRISCILA MAINIERI tem se dedicado exclusivamente à formação e produção artística desde 2006, quando ingressou no curso de artes plásticas da Escola Panamericana de Arte em São Paulo, concluído em 2008. Nos últimos 4 anos frequenta regularmente aulas de pintura em aquarela com Rubens Matuck. Como complemento à sua formação, cursou História da Arte, com Rodrigo Naves; Arte Contemporânea ,com Aguinaldo Farias; Introdução às vanguardas do século XX, com Ferreira Gullar, Aquarela, com Tuneu e com Dudi Maia, Gravura em metal com Claudio Vasques. Participou do encontro de Arte e Artistas Brasileiros com Paulo Pasta, Leonora Barros, Dudi Maia, Jac Leirner, Nuno Ramos e Waltercio Caldas, além de ter frequentado cursos de escultura na FAAP e MUBE. É também formada em Economia pela FAAP.

Teve trabalhos selecionados para Chapel Art Show e coletivas na Panamericana de Arte. Mantém seus trabalhos expostos em seu ateliê desde fevereiro de 2011 e, em 2012, fundou o Ateliê Galeria Priscila Mainieri, um espaço aberto, voltado para as artes visuais contemporâneas, dedicado a exposições regulares de seus trabalhos e de artistas convidados.

Oferece palestras, debates e cursos frequentes, ministrados por profissionais reconhecidos.

Entre 2012 e 2019 editou 5 mostras individuais:

ENTREVER, abril 2019;
SANKOFA, outubro 2014; 
VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA, agosto 2013; 
ESPELHO, março 2013;
COMPRESSÃO, abril 2012.

Promoveu mais de 28 mostras de artistas convidados:

ENTRE, Maurício Piza, junho 2019;
MENSÁGENS CÓSMICAS, Eduard Maldus, maio 2019;
AMARRAÇÕES, Julio Barreto, novembro 2018;
PAPÉIS A MOSTRA, Angeli Arregui,Elisabeth Pral,Martha Tanizaki e Pauletti Gerecht, setembro 2018;
DIVERTIMENTOS, Julio Minervino, maio 2018;
PINTURAS AO QUADRADO, Arnaldo Paoliello, abril 2018;
DO PROCESSO AO PROJETO, Beá Tibiriça, Edson Kumazaka, Flávio Carvalho, Liliam Villanova, Priscila Mainieri, Tiago Marin, março 2018
A SOCIEDADE DO PAPEL, Claudio Rocha, novembro 2017;
PINTURAS_RUBENS MATUCK, Rubens Matuck, setembro,2017;
MATA A DENTRO, MONTANHAS AO LONGE, Julio Minervino, março 2017;
ESPAÇO, TEMPO E MEMÓRIA, Cristina Canepa, outubro 2016;
UM, Ana de Niemeyer,Ana Roberta Lima,Carolina Mossim,Erika Massae,Liliam Villanova,Marcella Madeira,Renata Broetto,Yasmim Guimarães, agosto 2016;
PINTURA SOBRE MADEIRA, UM SUPORTE, DUAS VISÕES, Alice NM e Rubens Matuck, junho 2016;
NUM VÉU DE ÁGUA SE INSCREVE A PAISAGEM, Julio Minervino, abril, 2016;
ESPORTES, Carlos Matuck, março 2016;
CAMINHOS PARALELOS, Benê Dantas, Lica Neaime,Oscar Innecco, Sérgio de Moraes, Vera Rossi, novembro 2015;
12 ARTISTAS NA FAZENDA CATITÓ, coletiva wshop Intl, outubro 2015;
MOONLIGHT & THE END OF THE WIND, Kiyomi Kuriki e Kiyoko Kozawa; julho 2015;
DESDOBRAMENTOS, Renata Basile e Marinês Busetti, maio 2015;
DIÁLOGOS, André Toral, Julio Barreto, Julio Minervino, Carlos Matuck e Claudio Rocha, março 2015;
OUTRAS COISAS, André Toral, novembro 2014;
A SALA JAPONESA E OUTROS OLHARES ESTRANGEIROS, Carlos Matuck, maio 2014;
A CARRANCA E O DRAGÃO, Rolinho Bros, abril 2014;
PONTO MÚLTIPLO, coletiva de gravura, maio 2014;
CARTILHA TIPOGRÁFICA, Claudio Rocha, novembro 2013;
ÍCONES PERDIDOS, Julio Barreto, junho 2013;
PAREDE S/ PAREDE, Jaime Prades, setembro 2012;
É BONITO ISSO?, Claudio Rocha, abril 2012.